loader

Servidores do Detran PE prometem mais uma semana de greve

Movimento dos trabalhadores atinge praticamente todos os serviços. Categoria informa que ficará de braços cruzados até o dia 4 de abril.


G1


Em greve desde o dia 4 de março, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran),
prometem, pelo menos, mais uma semana de paralisação. Enquanto os
trabalhadores desafiam a Justiça, que decretou a ilegalidade do
movimento, e uma multa diária de R$ 80 mil, os usuários penam. O
movimento deve durar, pelo menos, até a segunda-feira (4 de abril).


Nesta segunda-feira (28), de acordo com informações do órgão,
praticamente todos os serviços estavam suspensos. O departamento
informou que apenas os deficientes que já tinham agendado os serviços
psicomédicos puderam ser atendidos nos últimos dias.


Nos shoppings centers, o há trabalho parcial. Já os trabalhadores que
atuam na Lei Seca participaram das operações do feriadão de Semana
Santa.


De acordo com o Sindicato dos Servidores do Detran de Pernambuco
(Sindetran-PE), as principais reivindicações são reposição salarial de
33,25%, referente ao acumulado desde 2008 até este ano, e vale-refeição
de R$ 250. Atualmente, segundo a entidade sindical, a categoria recebe
R$ 154 referentes ao benefício de alimentação, valor inferior ao
recebido pelos demais servidores estaduais.


O presidente do Detran, Charles Ribeiro, declarou, novamente, que só
retoma os diálogos com os servidores quando a categoria encerrar o
movimento.


Veja também

Tecnologia 10/06/2016

Detran ES cria programa para combater táxis clandestinos

Os veículos cadastrados no órgão estadual que não aparecerem nos cadastros de permissionários dos municípios terão incluídas restrições administrativas

Educação 02/06/2016

Em Manaus, somente 15% de 180 mil devedores quitaram Taxa de Licenciamento de veículos

Cobranças dos últimos 5 anos visavam arrecadar R$ 54 mi.

Normativa 13/05/2016

Deputados e gestores listam dificuldades para o Brasil reduzir mortes no trânsito

Número insuficiente de agentes, falta de padronização nos boletins de ocorrência e mau uso do Seguro Dpvat foram alguns dos problemas apontados em seminário realizado nesta quinta-feira na Câmara